Artigos

A Regra de Ouro, por Alkíndar de Oliveira

Crédito: Divulgação

Imagine um grande empresário que, além de ser um homem de sucesso, também fosse um visionário. Imagine que este homem, mundialmente conhecido no século passado (e até hoje), resolvesse pesquisar o porquê do sucesso, isto é, resolvesse pesquisar qual seria a razão de determinadas pessoas destacaram-se pessoal e profissionalmente, enquanto outras ficam à margem da sociedade.

 

Imagine ainda que, para conseguir tal intento, este empresário financiasse todas as despesas de tal pesquisa durante 25 anos. Durante 25 anos (um quarto de século!) seriam entrevistadas pessoas de sucesso. Durante 25 anos seriam catalogadas e pesquisadas as respostas destas pessoas, para se chegar a um denominador comum. Se tal ocorresse, seria uma séria pesquisa. Muito séria. E o resultado dela deveria ser leitura e estudo obrigatórios de todas as pessoas e de todas as escolas.


Mas será que existiu um empresário com tal disposição e visão de futuro? Existiu. Seu nome: Andrew Carnegie. Um dos propulsores do progresso dos Estados Unidos da América do Norte. Um legendário homem de negócios. Andrew Carnagie financiou tal pesquisa e colocou à frente da mesma uma pessoa cujos estudos a tornaram também legendária. Um nome respeitado por todos os consultores e pessoal ligado a treinamento e desenvolvimento humano: Napoleon Hill. Esta pesquisa deu origem ao livro “A Lei do Triunfo” (José Olympio Editora). Um adendo: este antigo livro de Napoleon Hill é de uma atualidade impressionante. A maior parte do que lemos na literatura recente, incrivelmente está presente neste “velho” livro (que de velho só tem o tempo de edição). Certamente é um dos livros mais reeditados do mundo, pois até hoje é comercializado nas principais livrarias.

 

Em seu livro, Napoleon Hil ensina-nos, em 16 lições, como ser uma pessoa de sucesso. Uma destas lições é denominada por ele de REGRA DE OURO e, conforme palavras do próprio, deve ser a base de toda a conduta humana. Qual é a regra de ouro? “NUNCA FAREI AOS OUTROS AQUILO QUE NÃO DESEJARIA QUE ME FIZESSEM” Decepcionou-se? Esperava mais que isto? Mas, creia, aí está o princípio. Aí está a base sólida das pessoas que realmente são um sucesso. Esta regra funciona como uma alavanca mágica. Aplique-a e se surpreenderá pelos resultados alcançados.

 

Como aplicar a regra de ouro? Usemos da empatia. Isto é, antes de falarmos ou agirmos, coloquemo-nos no lugar do próximo. Entendamos suas razões, mesmo que não concordemos com elas. Criando este hábito será possível aplicar a regra de ouro.